segunda-feira, janeiro 19, 2009

Adrede - Em nome da sujeira

Apresentar os paulistas do Adrede como um dos sobreviventes do New Metal/Rapcore, considerando toda a discussão "apocalíptica" em vigor a respeito desse gênero, faria com que muitos ouvintes se indispusessem com a banda por mero preconceito, antes mesmo de conhecer as músicas - o que seria uma pena. "Em nome da sujeira", o bem-sucedido debut desse sexteto de Indaiatuba contém claras influências de Hip-Hop, Rock (com a sujeira da guitarra típica do Grunge) e até do Funk. Tudo dentro da estrutura das músicas do Adrede está interligado, é como uma reação em cadeia. O baterista Marcelo, por exemplo, imprime uma levada sincrônica com o baixo de Guto, cheio de groove e fundamental na música. Este, por sua vez, também se conecta a outro elemento - os riffs sujos e cadenciados de China. Sobre isso, os dois vocais fazem a sua parte. Xavier tem o seu estilo mais voltado para o Rap, com vocais mais limpos e quase falados. Já Roger, atua direcionado ao Rock, mostrando vocalizações rasgadas, felizmente inteligíveis. Intercalado a eles, está o Dj R3, que se faz presente em intervalos bem dosados e não exagera nos scratches e demais efeitos. Somado às faixas: "Adrede"; "Mídia Urbana"; e a que dá nome ao registro; o disco é engrandecido por uma série de fatores. São eles: a participação especial de Andreas Kisser (Sepultura), que gravou em "O Troco"; o material multimídia bônus (com "Making Off" do disco, e ainda o videoclipe de "Cada Cabeça Uma Sentença"); a arte gráfica do álbum; a produção das músicas; e a invejável embalagem em formato digipack. Um disco de alto nível que está acima da média para uma estréia. Imperdível.

Nota: 8/10
Selo: Z Records
Data de Lançamento: 19/10/2008
Website: www.adrede.com.br/ /
www.myspace.com/adrede

Tracklist:
01. Adrede
02. Aqui Se Faz Aqui Se Paga
03. Cada Cabeça Uma Sentença
04. Em Nome da Sujeira
05. O Troco
06. Atitude Errada
07. Impunidade
08. Mídia Urbana
09. O Corre
10. Deixa Eu Falar
11. Paranóia
12. Jam

Um comentário:

Fox (Gilson Rodrigues) disse...

Realmente a onda (se não dizer moda) hardcore que invadiu nosso cotidiano nos deixou um pouco esquecidos de outros estilos que não deixam, nem deixaram, também de ser uma arma contra o inconformismo, e o Andrede sabe disso e soube muito bem usar seus dons, de fato, vale a pena...