sexta-feira, agosto 24, 2007

Queens of The Stone Age - Era Vulgaris

É certo que "Lullabies to Paralyse" deixou a desejar, principalmente para os admiradores mais fervorosos de "Songs for the Deaf". E isso pode ser explicado. No decorrer da história do Queens of the Stone Age, foram tantas as alterações na formação da banda, que o único integrante remanescente do primeiro registro até o mais recente, é o próprio Joshua Homme. Essas alterações, no entanto, não surtiam muito efeito na sonoridade do grupo. Isso até o último álbum citado, pois durante sua turnê, o polêmico Nick Oliveri e o ilustre Dave Grohl (o que já era esperado) juntaram suas trouxas e partiram. A saída destes dois músicos mexeu muito com o QOTSA. A sonoridade, desde "Lullabies to Paralyze" têm enveradado por ambientes cada vez mais introspectivos, sendo a maioria deles sombrios e psicodélicos. Felizmente, aquele leve toque de ironia e de sarcasmo, ainda se faz presente nas letras. Não só no conteúdo lírico, mas agora ainda mais evidente, a arte da capa também se encaixa nessa característica típica do grupo. "Era Vulgaris" trata, ao longo de suas 11 músicas, do presumível tema referente ao título do disco - a vulgarização que assola os tempos modernos. Logo nos primeiros segundos de "Turnin' on the Screw" experimentei uma sensação de alívio enorme ao sentir que aqueles acordes, a impressão digital da banda, estão bem vivos. Daí em diante, é só satisfação. "Sick, Sick, Sick", que juntamente com "3's and 7's" compõem as primeiras músicas de trabalho do disco, apresentam um dos melhores sons de guitarras do disco. "Make It Wit Chu" (Make IT With You!!!) é mais uma música a pregar peças nos ouvintes. Quem escuta até pensa que se trata de uma inocente canção de ninar, mas mal sabe que se trata mesmo é de um homem desejoso por sexo a qualquer custo (semelhanças com "Go With The Flow"?!). Como em qualquer obra do QOTSA, "Era Vulgaris" é muito rico, podendo ser analisado de várias maneiras. Portanto, não cabe aqui me extender. No que diz respeito à qualidade musical, me dou ao luxo de dizer que trata-se aqui de um ótimo disco, talvez até o terceiro ou segundo melhor dos caras. Mas ainda não foi dessa vez que "Songs for the Deaf" foi batido!

Nota: 8/10
Selo: Interscope
Data de lançamento: 12/06/07
Website: www.qotsa.com/ /
www.myspace.com/queensofthestoneage /

Tracklist:
1. Turnin' on the Screw
2. Sick, Sick, Sick
3. I'm Designer
4. Into the Hollow
5. Misfit Love
6. Battery Acid
7. Make It Wit Chu
8. 3's and 7's
9. Suture Up Your Future
10. River In The Road
11. Run, Pig, Run

2 comentários:

Guy Henri disse...

Concordo com você meu ilustre primo, mas sinceramente o tão aclamado disco "Songs For The Deaf" quase foi batido SIM pelo "Era Vulgaris", pelomenos na minha opinião. Veja bem, o fato do CD estar mais pisicodélico é na minha opinião de fã nada mais do que uma evolução óbvia, não acha? O CD é realmente muito bom, mas o fato de "Songs For The Deaf" fazer tanto sucesso e ser tão aclamado pelos fãs, não só por hinos do própio CD, tais como:First It Giveth, Go With The Flow ou mesmo No One Knows, e sim pela genialidade de se fazer um CD pesado e lírico! Mas que fique bem claro P.V pesado não só na sonoridade de algumas músicas mas também das própias letras! Mas não deixo de concordar com você em dizer: "Ainda não foi dessa vez que se bate o "Songs For The Deaf"

Abraço Paulo.!

Danilo disse...

Resenha extremamente fraca, vc nao parece conhecer bem a banda.... portanto, fale somente do que vc conhece...